Chamar a música


Sabrina Gil


JoJo: a luta e superação de uma estrela
Joanna Noëlle Levesque, 26 anos, norte-americana, de nome artístico JoJo, foi uma sensação mundial do pop/R&B adolescente na década de 2000.
Jojo assinou um contrato discográfico com a editora “Blackground Records” com apenas 12 anos e, aos 13, lançou o seu primeiro single, “Get Out (Leave)”, que foi um estrondoso sucesso, alcançando o topo das tabelas de vendas nos Estados Unidos. Tornou-se a artista mais nova a conseguir este feito de sempre. O seu primeiro disco, de título homónimo, vendeu mais de um milhão de cópias só no seu país. Com 15 anos, o sucesso repete-se, ao lançar o single “Too Little Too Late” e o segundo álbum, “The High Road”, quebrando novos recordes.
No entanto, nem tudo são mares de rosas na vida de JoJo. A sua editora pressionava-a para perder peso e corresponder aos estereótipos de beleza das estrelas da altura, tendo um comportamento abusivo para com ela, para além de a colocar em problemas em relação à edição de nova música. JoJo tentou sair da editora, mas prendia-a a ela o contrato que tinha assinado. Estava impossibilitada de lançar nova música de forma oficial, mas nada a impediu de continuar a fazer o que mais gosta. Lançou várias músicas e EP’s de forma independente, foi dando concertos, mantendo a ligação com os fãs.
Após uma batalha judicial complicada, de 10 anos, JoJo ficou livre do contrato com a primeira editora, lançando o seu terceiro álbum com a “Atlantic Records”, o primeiro numa década, intitulado “Mad Love”, em outubro de 2016. Este, composto por 15 faixas, é uma verdadeira prova de que o talento de JoJo não foi a lado nenhum. Ao voltar após tanto tempo à indústria musical, a cantora teve que deixar o seu R&B teen, típico da década 2000, para se aventurar por novas sonoridades, as quais lhe assentam que nem uma luva. Para “Mad Love”, JoJo apresentou um R&B moderno com influências soul, pop e electrónica, cantando sobre amor, música, superação, amor próprio, e muito mais, com letras relativamente complexas e rebuscadas. A sua voz está melhor do que nunca, permanecendo uma das melhores vocalistas da sua geração, com enorme facilidade de transição entre registos, um timbre aveludado lindíssimo e único, um alcance de louvar para uma mezzo-soprano, e, claro, uma agilidade inacreditável, que tornam JoJo numa verdadeira mestre do seu instrumento. Um álbum em que todas as músicas se destacam tanto, que é quase impossível selecionar favoritas.
Se continua a ter o mesmo sucesso de outrora? Não, pois muita gente se esqueceu dela e o mercado musical foi sendo preenchido por outros artistas. Mas JoJo provou, com Mad Love, o quanto merece o seu lugar entre os grandes nomes do R&B desta geração, passando de estrela adolescente para artista madura. Superou todas as adversidades e tempo perdido, revelando um verdadeiro amor pela música, e, por tudo isso, aqui fica esta pequena homenagem e algumas sugestões de músicas da cantora:
-Save My Soul
-I Can Only (ft. Alessia Cara)
-Mad Love
-FAB
Para chamar a música, basta ir ao Youtube, uma vez que todas as músicas mencionadas e muitas mais, incluindo o álbum “Mad Love” completo, estão lá oficialmente, ir ao Spotify ou comprar no Itunes.