Carolina Félix |Opinião

Na sociedade atual, predominam vários tipos de pessoas cujos interesses partilhados são bastantes diferentes. Isto é, existem pessoas que têm como principal objetivo conquistar uma vida melhor, enquanto outras defendem o bem comum em detrimentos dos seus interesses. Assim, surge a seguinte questão: Serão os interesses da sociedade capazes de se conciliar com a luta por uma vida melhor?
Por um lado, no mundo em que vivemos, encontram-se pessoas que todos os dias lutam por uma vida melhor, quer seja em relação à sua profissão, ao seu nível de escolaridade, à sua saúde e bem-estar, ou até mesmo porque são obrigadas a mudar. Um bom exemplo que fundamenta este argumento são os refugiados do Médio Oriente e de África, que se encontram obrigados a mudar e a procurar uma vida melhor, pois não a conseguem no seu país, uma vez que este está numa profunda guerra sem fim à vista.
No entanto, existem pessoas que consideram a luta pelo bem comum o objetivo essencial, sobrepondo-o assim aos seus próprios interesses, de modo a que o que defendem promova o bem para o maior número de pessoas possível e não apenas para eles mesmo. Como exemplo, temos Nelson Mandela, que lutou e reivindicou incansavelmente pelo fim da segregação racial, tendo em conta as censuras e restrições que tinha como obstáculo na altura. Como este tinha uma vontade enorme de ajudar a sociedade, nunca desistiu e lutou sempre em prol dos interesses desta.
Face aos argumentos expostos, considero que na socialidade atual predominam a ganância e o individualismo, uma vez que são escassas as pessoas que têm a vontade e a “garra” de lutar pelo bem comum, deixando os seus interesses de lado, fazendo com que, na minha opinião, seja impossível conciliar estes dois pontos de vista.

 

 

Design by JoomlaSaver